A ambiguidade da palavra adeus

Aquele era o meu pior poema
só porque não falava de você.
Fugindo de encarar suas fotos
espalhadas pela casa
lembrar que juramos felizes para sempre.
Este fim é uma cena em câmera lenta
passando pela sala que era nossa
o sofá que escolhemos
a fotografia em preto e branco
que você tirou de mim
enquanto eu sorria no jardim
ali você capturou minha alegria, apertou o botão pause.

Pode ficar com tudo
cama, enxoval, móveis
não vou querer nada seu
cheiro, toque
por isso agora odeio uma parte de mim.

Mas você insiste que eu fique.
Você acha muito nobre e generoso de sua parte
me deixar aqui sozinha
nesta casa que já foi um lar.

--

--

--

Gostou de um texto? Contribua com o meu trabalho pagando um cafezinho. ☕️ Pix: (71) 98774-5420

Love podcasts or audiobooks? Learn on the go with our new app.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store
Gabi Blenda

Gabi Blenda

Gostou de um texto? Contribua com o meu trabalho pagando um cafezinho. ☕️ Pix: (71) 98774-5420

More from Medium

Shadow Of the Batman

It’s Okay To Not Be Okay

When Faith Is Critical

The graphic contains four, empty speech bubbles in the background. In the foreground is text framed by a white square that reads, “#31DaysIBPOC.”  Underneath this are two lines that state, “Celebrating the teacher voices of Indigenous, Black, & People of Color this May!” The bottom of the graphic lists the following information, “Hosted by @TchKimPossible @triciaebarvia.”

Facing fears 🐕